Cliente e prestador de serviços: relação de poder?

Engana-se aquele que acredita que exerce poder arbitrário frente a seus prestadores de serviços. É imperial que, para a relação funcionar e ter verdadeiramente sucesso, haja cooperação e parceria. Para isso, a cordialidade também se faz necessária.

Por vezes, o perfil de ambos não está alinhado. Costumo dizer que entre candidato à vaga de emprego e empresa, é necessário que os dois façam a escolha pelo trabalho. Não somente a empresa deve escolher seu novo funcionário, mas é fundamental que o profissional queira estar naquele ambiente organizacional e se identifique com ele. Essa visão clara é capaz de evitar perda de tempo e de melhores oportunidades. Assim acontece entre cliente e prestador de serviços ou fornecedor.

O alcance de metas do cliente é também o sucesso de quem parece estar nos bastidores, mas que faz as peças rodarem. O traçar estratégias, o planejar e o colocar em prática devem fluir de forma harmônica para a obtenção de resultados.

Vou além: embora discorde do ditado “O cliente tem sempre razão”, afinal, nem sempre ele sabe exatamente o que quer e, normalmente, não tem o conhecimento técnico do profissional ou empresa contratada para atendê-lo e satisfazê-lo, é indiscutível a sua relevância. Então, por que se ver em uma pirâmide? Cliente e prestador de serviços dividem a mesma linha de importância.

Repense suas relações e o que você pode estar fazendo contra o seu próprio negócio. Que consigamos vivenciar os novos arranjos de mercado e a troca que nos faz crescer.

Andrea Marnine
Relações Públicas com MBA em Gestão de Pessoas
MBA em Marketing Estratégico em curso
Idealizadora da Marcô Coletivo de Comunicação

Você pode se interessar também por:

Não faça das assessorias de comunicação a sua última opção
Dormiu? Acorde, pois o mundo mudou
Por que investir em comunicação?